15 de fevereiro, dia da escola.

15:26

Antes de qualquer coisa, resolvi escrever um texto mais factual, e deixar um pouco a linha do tempo da Sophia de lado.

Ontem teve reunião de início de ano na escola da Sophia. Reunião pedagógica para falar sobre o planejamento anual, o que será trabalhado e a preocupação da escola em relação ao desenvolvimento mental, motor e emocional dos alunos.

Em meio a tantos pais (alguns avós), pude notar que fiz a escolha certa em colocar Sophia naquela escola desde os sete meses de idade, afinal, só de presenciar que pais e mães ganharam tempo (me recuso a dizer que ficar algum tempo se dedicando aqueles que tanto amamos seja uma perda de tempo) para ouvir a diretora, a nutricionista e a professora de inglês conversar por mais de uma hora sobre o desenvolvimento dos nossos filhos é perceber que queremos um mundo melhor.

Quando precisei voltar a trabalhar, me vi no primeiro dilema materno: colocar ou não colocar a Sophia numa escola, eis a questão. Confesso a vocês mães que a idéia de babá para mim é algo muito distante. Quando eu era uma adolescente patricinha que sonhava que seria madame, afinal, me casaria com um homem riquíssimo que me daria uma vida cercada de mimos e luxos, imaginava sim em ter uma babá para ter alguém que ficasse junto dos meus filhos, brincando, olhando e trocando fraldas, mas delegar a educação e os cuidados à uma babá jamais. Não tenho nada contra babás, quero deixar isso muito claro, mas ir trabalhar e deixar minha filha com alguém “estranho” não me passa pela cabeça. Então era a hora de procurar a escola “ideal” para minha princesa.

Não quero falar das demais, criticar ou desmerecer, afinal, EU procurava um ideal de ensino que achei na escola em que Sophia estuda. Sinto-me extremamente feliz com minha escolha. No primeiro dia de aula eu chorava de saudade, de medo que não estivessem dando o carinho e atenção que eu dava para Sophia e pensava se ela poderia estar chorando de saudades. Quando fui buscá-la estava tão tranqüila, tão calma, tão feliz. As professoras sempre muito atenciosas nos passavam a rotina da Sophia e nos entregavam linda e cheirosa. A cada ligação que recebia no celular era um medo de ver na tela “Escola Sophia”, afinal, isso significaria doença.

Foi graças à escola que os primeiros vínculos de amizade foram estabelecidos. 

Desde o berçário, passando pelo maternal I e hoje no maternal II, Sophia vê na escola realmente sua segunda casa, melhor, terceira, a segunda é a casa da vovó (que ela chama de “i”).

Febre? Sophia teve muitas.

Mordidas? Levou duas da mesma amiga. O motivo: boneca.

Doença? Várias gripes, algumas febres e uma conjuntivite bacteriana que a deixou em casa por três dias.

Alimentação? Hoje insiste em comer sozinha, e adora!

Fraldas? Começamos a mostrar que usar o vaso sanitário é muito legal.

Notamos que a escola era maravilhosa, quando nas férias do início desse ano Sophia começou a chorar chamando pelos amigos Lalá, Dudu e pela tia Pri. Era saudade!

Sophia está no maternal II, fazendo as aulas especiais de natação e ballet. Sua festinha de aniversário foi na escola e pela primeira vez estive numa festa feliz, sem ninguém falar mal da comida, que o horário foi inadequado ou que festa de criança é muito chata.

Posso garantir que deixar seu filho pequeno na escola quando precisamos estudar ou trabalhar não é problema nenhum. Se estivéssemos em casa o dia todo, Sophia teria sido apresentada para a televisão aos sete meses e estaria perdendo grande parte do seu tempo. Quando chorasse, eu a pegaria no colo, mas pensando na panela que está no fogão ou no ferro de passar roupa ligado. Hoje, o tempo que estou com Sophia em casa é o tempo em que sentamos no chão e brincamos. Dou o meu melhor tempo para ela. Realmente, minha casa não é mais um templo de limpeza, mas meu relacionamento com minha filha é maravilhoso. 

Primeiro dia de aula!

Festinha de 2 anos na escola!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

5 comentários

  1. Mah, eu desconhecia seu blog, soube pelo face.

    Chorei ao ler suas considerações, tão centradas, tão bem escritas, tão serenas, tão adultas, tão 'minhas também'.

    assino embaixo tudo que vc descreveu. amei o final.

    bj grande pra vc e uma mordida na pequena.
    (aliás: DOIS ANOS JÁÁÁ???)

    ResponderExcluir
  2. Marcella, que bom que a escola foi uma decisão resolvida pra vc. Eu ainda me culpo muito por ter deixado a Malu na escolinha quando ela era bebê. mas preciso me perdoar urgente senão vou viver só pensando na culpa e correr o risco de deixá -la de novo...
    obrigada pela visita e prazer em conhecê-la.

    ResponderExcluir
  3. Oie
    Vim retribuir sua visita e dizer que adorei o texto da escolha da escola. Isso é um fato marcante na vida da criança e da própria família. É lá que serão constituidos os elos dela fora da família e se não for um lugar agradável, com pessoas atenciosas, não é legal!!! Depois vou ler com calma seus outros posts. Beijos mil

    ResponderExcluir
  4. Olá, vim visitar seu blog e gostei muito do texto.
    Eu também passei por isso. Hoje minha filha tem 1 ano e 2 meses e é uma criança super feliz com a escolinha, no começo e até a pouco tempo atras eu ainda me sentia culpada por deixa-la na escola e ir trabalhar, mesmo porque ela demorou 4 meses para de adaptar. Mas hj vejo que fiz a escolha certa.
    Bjosss

    ResponderExcluir
  5. Conheci o seu blog hoje e adorei!
    Adorei os assuntos sobre os quais você escreve.

    Aproveito para convidá-la a conhecer o meu:
    http://passeadoeviajandoemfamilia.blogspot.com

    Beijos!

    Lívia.

    ResponderExcluir

Obrigada! Seu comentário é muito importante para o crescimento do blog. Para quaisquer dúvidas e sugestões, mande um email para contato@mamaedesalto.com

Beijos, Má

Importante

Importante

Seguidores

© MAMÃE DE SALTO - 2016. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.