Supernanny

13:46

Mesmo antes de ser mãe, sempre adorei programas com temáticas familiares (se tivesse TV a cabo viveria assistindo Home&Health), tipo Troca de Esposas, Adolescentes Rebeldes e até Pequenas Misses! Agora o campeão com certeza é Supernanny, até o do SBT eu já assisti e confesso, aprendi muita coisa, porque ali você aprende o que fazer e o que nunca se deve fazer!

Para vocês entenderem o final da história, preciso contar um detalhe! Há algumas semanas eu mudei todo o quarto da Sophia, troquei guarda-roupa, cômoda e cama de lugar. Decidimos (eu e papai) que Sophia já poderia ter televisão no seu quarto, a gente não agüentava mais ter que assistir filmes todos os dias, então com uma televisão no quarto, o DVD ficaria por lá para passar os filmes e a gente poderia ficar na cama assistindo qualquer outra coisa. Então resolvi deixá-lo quase pronto, colei papel de parede, só não instalei a nova luminária de teto porque tenho medo de levar choque! Ficou lindo, embora tenha faltado um pedaço do papel de parede bem em cima da cama, mas isso é detalhe!

Então agora voltamos para os fatos. Era um sábado, dia de dormir até mais tarde – teoricamente, porque aqui isso não acontece. Não sei se existe alguma anormalidade, mas durante a semana, que Sophia teria que acordar cedo por causa da escola, dorme; final se semana que pode acordar às 11 horas, ela levanta às 8h! Enfim, acordamos juntas, fui fazer leite quentinho para nós duas e a deixei no quarto brincando (entende-se por filme na televisão e muitos brinquedos no chão). Tomamos café da manhã e fui para a cozinha fazer bolo, lavar louça, ...., enfim, fui pra escravidão! Passado um tempo ficou muito silêncio lá pra dentro, e quem é mãe sabe, silêncio demais não é bom! 

Fui dar uma olhada e de cara vi que tudo estava fora de lugar! Todos os brinquedos que ficavam encostados na parede estavam afastados. Olhei do corredor e perguntei "filha, o que você está fazendo?"; Sophia me olhou, mostrou a parede e respondeu "olha mamãe, a Sophia desenhou" ......... Meu coração parou por uns cinco segundo para eu me preparar para o que viria e veria. Sophia rabiscou
TODA a parede, inclusive o papel de parede! Sério, meu sangue subiu, meu coração acelerou e a mão levantou de tal maneira que eu tinha certeza que seria a primeira vez que eu iria realmente bater na Sophia.

Eu não posso mentir, já dei algumas palmadas. Teve um período (ele encerrou há pouco mais de um mês) que Sophia ficava brava, irritada porque a gente não deixava ela subir no rack da sala e pular (estou errada em não deixar minha filha pular sobre um rack de madeira que além de machucá-la poderia quebrar), dai ela vinha na nossa direção e nos batia. A gente chamava a atenção e ela batia novamente, aí eu dava um tapinha no mesmo lugar e falava "A mamãe disse que faz dodói, viu como machuca"; daí ela vinha e pedia desculpas. Mas bater, dar "surra", nunca! Mas nesse dia eu achei que seria a primeira vez.

Respirei fundo e falei "Meu Deus do céu, filha o que você fez!? Isso está horrível!! Você estragou toda a parede. Por que você fez isso?!". Ela sentou na caminha dela, respirou fundo, encheu os olhinhos de lágrima e falou "Desenhar é só no papel mamãe, desculpa!"; começou a chorar, me abraçou e pediu desculpas novamente. Eu me abaixei até a altura dela (aprendi com a Supernanny) e falei "Tudo bem filha, e desenhar é só no papel! Promete que nunca mais fará isso!". Ela me abraçou, beijou e arrumou todo o quarto que ela bagunçou!

Foi a maior prova de maternidade que já tive! Não estou aqui para condenar quem bate, nem dizer que não bater é a melhor coisa. Realmente eu não sei! Só sei que naquele momento eu decidi que iria ser diferente! Eu nunca apanhei, minha mãe dava tapa no ar, fingindo que não me alcançava e meu pai, putz, ele puxava minha orelha! Como doía!

Não sei se bater num filho faz dele mais marginal ou mais educado, sinceramente! Na Bíblia existe um versículo que diz
"Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá". Provérbios 23:13. Conversando há um tempo com uma amiga que é responsável pelo ministério infantil da igreja, ela me disse que hoje em dia, se um pai vai em direção ao filho para bater, que seja um tapa no popozinho (é assim que Sophia chama), a criança já aprende na escola que é crime e responde ao pai "se você me bater eu te denuncio, palmada é crime". Serio, acho que se minha filha fala isso para mim, me desculpem, mas aí que o sangue iria realmente subir. 

Sei que posso levar muitas palmadas por esse texto, mas acho que a maternidade faz isso com a gente, mexe em assuntos que antes de sermos mães, parecem extremamente longínquos, mas quando nasce um filho, nasce uma mãe, nasce um novo conceito de valor! 


Tem como ficar feliz com essa "obra de arte"!?!?

PS ... Desculpem a péssima qualidade da foto, foi tirada com o celular!!


 



VEJA MAIS POSTS SOBRE

13 comentários

  1. Que judiação! Aqui em casa tbm acontece isso,Andre encheu a parede e a cama de figurinhas eu nao gosto,fico louca para tirar,mas agora nao adianta mais,falei que ele pode fazer o que quiser no quarto dele que nao vou mais brigar,mas so no quarto dele..kk beijinhos

    ResponderExcluir
  2. mas eu fiquei com dó com a frase que ela falou...rs
    tadinha,ela tinha consciência que estava fazendo coisa errada...rsrs
    concordo com vc ,não acho que palmada educa, e nessa situação você tirou de letra...

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Má, tb adoro esses programas, eheheheh
    Olha vc fez bem, eu imagino a vontade que deu de erguer a mão, mas parabéns por conseguir reverter a situação e ela comprrendeu, isso que é o mais importante.
    Vc sabe minha opinião a respeito de palmadas néh!!!??rs
    Bjão

    ResponderExcluir
  4. Nossa Má! Eu tb teria um troço!
    Mas a Sophia foi bem "madura" em te pedir desculpas sem que precisasse de palmadas e você se saiu super bem. Auto controle é fundamental num momento desses (apesar de achar que eu não teria tanto qto vc)...

    ResponderExcluir
  5. Ai tadinha das duas... Da mãe com o trabalhão e da filhota que achou q ia agradar...
    Ainda bem que ela é uma fofa carinhosa ne?

    bjo e tava com saudades

    Jana

    ResponderExcluir
  6. Bom, eu não tenho filhos ainda, mas siceramente eu não sei o que eu faria, se eu chorava ou ria pra não chorar, rsrs... Sabe eu não acho legal baterrrr pra machucar, mas umas palmadinhas, sabe sem doer, só pra ensinar que é errado, acho que não tem nada a ver.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Hahahaha o que será que passa na cabecinha desses pequenos??
    "Vou desenhar na parede, quem sabe mamãe acha lindo desenha também.."
    "Vou desenhar aqui, quem sabe mamãe não perceba.."
    "Hum, o papel acabou, vou desenhar na parede.."
    ou então
    "Puxa, se não me engano eu não devia desenhar na parede.."

    Independente disso, acho que você fez bem! Eu não sei como agiria numa situação dessas e ainda não tenho certeza se concordo ou não com palmadas.. A Analu vai ter que crescer mais um pouco e aprontar pra eu descobrir!! hehehe

    Beijinhos na mãe e na artista.. =)

    ResponderExcluir
  8. Incrível como silêncio de criança é algo preocupante e dos males o menor, eu fiquei imaginando ela mexendo na tv, sei lá...
    O sangue ferve quando elas fazem algo que a gente sabe e considera errado, mas penso que na idade delas isso ainda não está claro, por isso a gente fala e mostra e explica umas mil vezes até elas entenderem.
    Sobre bater, penso sinceramente que não resolve, nem ensina, mas sei que às vezes é a palmadinha que põe algum limite, já que a explicação nem sempre funciona.
    Beijos!
    Aretusa, mamãe da Doce Sophia

    ResponderExcluir
  9. Mah
    Então, tb adoro os programas do Discovery Home and Health!
    Sim, criança quieta é criança que está aprontando algo!
    E não se bate em criança em nenhuma hipótese, sou contra, e acho que nada justifique!
    Conversa que tudo se resolve!
    Bjs bjs

    ResponderExcluir
  10. ai ai, esse assunto é mesmo bem polêmico. esses dias escrevi sobre isso. acho que há situações e situações, sabe!? no caso, acho que vc fez certo. por mais que o sangue tenha subido e que vc tenha ficado nervosa (com toda a razão) o que ela fez foi realmente uma arte de criança, uma travessura! a bíblia realmente diz que não devemos retirar a disciplina da criança, eu disciplino a Kamila quando ela falta respeito com alguém, assim como vc disse que fazia quando ela ia pra cima de vcs. parabéns pela educação da pequena! beijos!

    ResponderExcluir
  11. flor, que bom que gostou do novo visual lá do blog! estou passando pra desejar a vcs um final de semana abençoado! beijosss

    ResponderExcluir
  12. hahah! Eu me vi nessa sua história... Eu detesto dar palmadas, evito ao máximo, mas às vezes rola uns tapinhas no "popozinho" sim. Confesso que acho mto difícil impor limites apenas c/ palavras pq minha filha é mto geniosa, apesar de ser um bebê. Mas sei q é possível. Meu manual materno também é a Bíblia e uma amiga me contou um super testemunho relacionado à questão de corrigir com vara. Deu certo! Mas foi a partir dos 4 anos. Com limites, claro! Violência nunca! O importante é manter o controle e encontrar o equilíbrio... bjs Camila Vaz
    http://mundodepalavras.wordpress.com

    ResponderExcluir
  13. Aki em casa as meninas podem rabiscar a parede do quarto delas,mas quado começam a rabiscar onde não deve,alem da palmada no popozinho ainda ficam sem giz de cera por 1 dia inteiro,mas é assim mesmo mãe é um ser cheio de dúvidas,pois nossas crianças não vem com manual de instrução.....Também assisto Super nanny e mostro pra elas tbm

    ResponderExcluir

Obrigada! Seu comentário é muito importante para o crescimento do blog. Para quaisquer dúvidas e sugestões, mande um email para contato@mamaedesalto.com

Beijos, Má

Importante

Importante

Seguidores

© MAMÃE DE SALTO - 2016. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.