5anos em 30dias #5

20:23


Se existe um momento na minha vida materna que eu jamais irei esquecer, sem dúvida foi o dia em que fui fazer minha primeira ecografia ... eu posso garantir que foi simplesmente aterrorizante.

Eu descobri que estava grávida numa quarta-feira, vinte e nove de outubro de dois mil e nove através de um teste de farmácia. Alguns dias antes do teste, eu já havia marcado uma consulta com minha clinica geral, que faz uma medicina oriental, para olhar meu nível de stress, acupuntura e vitaminas para sexta-feira, trinta e um de outubro. A dra. Su (minha médica) fez alguns exames com um aparelho que mede a energia vital do corpo e meu nível de energia estava alta e hormônios em ebulição, fez uma medição que os orientais fazem para ver de quantas semanas eu estava e escutou o batimento cardíaco do feto ... era tudo verdade, eu estava grávida. Para tirar toda e qualquer dúvida, então vamos fazer um exame de ..... imagem! Juro que hoje me questiono o porque não pedi um exame de sangue ao invés de ir fazer uma ecografia!

A consulta com a médica era no período da manhã, namorado/papis foi junto e quando saímos do consultório fomos almoçar com minha mãe num restaurante. Durante o almoço, que foi a primeira vez que os dois se viram depois da descoberta eu falei que tinha recebido uma guia para fazer uma ecografia e, minha mãe como é movida a gasolina já pediu para um garçom uma lista telefônica, pegou o celular e ligou para um laboratório de imagem perto de casa que tinha um horário as 13h45min ... prontinho, exame agendado!

Saímos do restaurante eu e namorado/papis e fomos direto para o lugar que iriamos fazer a ecografia, aguardamos alguns minutos e já fomos chamados. Entramos numa sala estreita e comprida, muito escura, a pouca claridade vinha do reflexo de uma projeção na parede, como se a parede fosse uma tela de cinema que estava com o projetor ligado mas em stand-by. A maca ficava perto da porta e perto da parede/telão havia uma poltrona que o namorado/papis sentou. Uma mocinha tipo enfermeira mediu para eu ajeitar a calça mais para baixo e subir um pouco a camiseta, protegeu a roupa com uma toalha e pediu para que esperássemos.

Alguns segundos, ou minutos, se passaram e um homem entrou, acho que era o médico. Perguntou se eu era a Marcella, deu um OI para o acompanhante e começou a passar um gel bem geladinho da minha barriga, enquanto ligava o aparelho e começa a deslizar uma coisa na barriga espalhando o gel perguntou “acompanhando o crescimento do feto?!” / “na verdade doutor, vim ter certeza se estou grávida”/ “então veio ver o sexo?!” / “não doutor, vim ver se estou grávida mesmo, não tenho certeza”/ “como não tem certeza, você está grávida de uns sete ou oito meses aparentemente, não sente o bebê se mexer?!” / “não” / “então é melhor confirmar essa gestação mesmo” e assim começou o exame. Juro que não sei daonde saiu aquela imagem nem aquele som, mas de repente apareceu um treco na parede e um som que parecia o fundo do mar, só que mais forte, mais pesado.

Aparelho para um lado, aparelho para outro, aparelho para cima e depois para baixo, ajeita aqui e ...... tumtumtumtumtumtum tumtumtumtumtumtumtumtumtum “tem batimento cardíaco, está tudo bem”. Naquela escuridão toda eu enxerguei uma pessoa branca quase transparente, era o namorado/papis quase desmaiando! Um pouco mais de exame e o médico congelou na parede a imagem em 3D da coluna vertebral, comentou que o feto havia 32cm, pesava 850g e alguns minutos depois perguntou se eu queria saber o sexo, eu respondi “será que já é possível?” e ele respondeu “uma menina, data prevista para o parto 06/02/2009, gestação de apenas um feto”; tirou o aparelho, deu uma limpada naquele gel e disse que eu poderia me vestir e aguardar a enfermeira voltar.


Não passou de cinco minutos minha consulta, okay, dez no máximo e eu e Ramon ficamos ali, em choque e sem ação: éramos pais de uma menina, em dois dias nossa vida havia mudado num angulo de 180°, como eu um dia havia pedido há Deus numa oração antes de dormir há algumas semanas atrás.

Eu não voltei naquele laboratório para fazer os outros exames, não indico para ninguém pois não gostei do atendimento e frieza dos profissionais, mas foi naquele lugar que eu descobri que uma menininha seria a razão do meu viver, seria minha vida do mundo!

Beijos e comenta,




VEJA MAIS POSTS SOBRE

3 comentários

  1. Uaau como assim já estava de 26 semanas e nem descconfiava ? Rsrs se bem q eu fui descobrir q estava grávida de 13 semanas .
    To adorando 5 anos em 30 dias!!!
    Deixa te perguntar uma coisa vc é de Curitiba ???
    Bjoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Jéssica, e quem desconfiou da gravidez foi minha mãe, não pelo corpo que pouco mudou até a descoberta, mas porque eu tinha crises de choro e irritação sem sentido ou explicação!

      Que bom que esteja gostando do projeto e sim, sou de Curitiba ... e você!?

      beijos, Má

      Excluir

Obrigada! Seu comentário é muito importante para o crescimento do blog. Para quaisquer dúvidas e sugestões, mande um email para contato@mamaedesalto.com

Beijos, Má

Importante

Importante

Seguidores

© MAMÃE DE SALTO - 2016. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.