Todos amam Monster High

09:07

logo monster high

Olá mamães, tudo bem?! Eu espero que sim!!

Já escrevi dois outros posts nesse mesmo “padrão”, um sobre a Peppa Pig *AQUI* e outro sobre O Show da Luna *AQUI*, hoje acordei com vontade de falar sobre Monster High, acho que muito se deve a uma conversa que eu e Gatoca tivemos dias atrás.

Como vocês sabem, vivemos aqui em casa há um boooom período tempo de vacas raquíticas, e para enfrentarmos esse momento mais que delicado algumas coisas foram retiradas do orçamento e entre internet e/ou tv à cabo, é claro que lá se foi a SKY “tchaaaaaaaau Investigação Discovry, snif snif, tchaaaaaaau Pelados e Largados (ou seria Largados e Pelados!?), snif snif, tchaaaaaaaau Meu Grande Casamento Cigano, snif snif ...”. Lamentações pessoais deixada de lado, isso significa que todos aqueles deliciosos e maravilhosos canais infantis também foram embora. Agora contamos com a animação do Netflix e do SBT, que descobri nesse período que passa váááários desenhos do canal Disney e Disney Junior de segunda à sábado pela manha, #GatocaComemora.

Bom, enfim, o foco do post não é a programação infantil da televisão, vamos voltar ao assunto principal; dias atrás estava passando a programação infantil do canal brasileiro quando passou durante o intervalo comercial passou a propaganda das bonecas Monster High e para minha surpresa, Gatoca conhecia váááárias personagens. Por que eu digo “minha surpresa?! Oras, porque aqui em casa esse desenho não entra!

Okay okay okay, te assustei!? Vamos começar do início de TUDO! Há mais ou menos uns três, quatro anos eu descobri as Monster High através da minha sobrinha e não vou negar para você, achei estranha mas tinha um jeito interessante, fugia daquele padra de beleza Barbie. Eu, particularmente, sou apaixonada por caveira mexicana, na verdade, caveiras em geral, se pudesse teria na sala ou mesmo no meu quarto uma certa decoração sombria e colorida (seria isso possível!?), mas todo mundo tem aquele olhar preconceituoso e pré-conceituoso sobre caveiras, esqueleto, morte. Foco Marcella, foco. Quando vi as bonecas, achei que tinha essa pegada caveirística e achei bem interessante. O tempo passou, o Natal chegou e eu comprei um filme em DVD Monster High para minha filha. Ela assistiu uma ou duas vezes. Algum tempo depois viajamos em família e minha sobrinha levou vááááários personagens em bonecas e enquanto ela penteava os cabelos, arruma as roupas e acessórios fui conhecer mais de perto e comecei a perguntar sobre elas, quem eram, o que faziam, de onde vinham e se davam assunto para um Globo Repórter e, para minha surpresa, elas davam!

we are monster high

Pelo o que entendi naquele momento, todos os personagens eram filhos, sobrinhos, parentes de personagens malignos de histórias, filmes de terror, lendas e sei lá mais o que. Não, nem todos são do mal, parece que é possível sendo bom tendo o DNA mal, porém, tudo gira em torno de maldade.

Uma é filha do Drácula, outra é sei lá o que do Lobisomem e tem múmia, vampiro, ciclope e até desconhecidos.

Chegando em casa liguei o DVD e decidi assistir sozinha ao filme para entender melhor essa história e, sim, eu joguei a parada fora. Simplesmente odiei! Por que?! Eu vou te explicar porque eu não curti.

O mundo já está tão cheio de maldade que, em primeiro lugar achei desnecessário fazer um brinquedo com características negativas. “Mas Marcella, você não entendeu, eles são bons”, BONS?! Logo nos primeiros cinco minutos de episódio uma monstrinha disse que iria fazer uma maldição para que o bonitinho da escola gostasse dela e, pelo o que entendi, ela era do bem, só que ao invés de usar linguagem “do bem”, eles usam “do mal”.

Outro ponto negativo ao meu ver é a erotização das roupas: eu não acho legal criança nem adolescente se preocupar com espartilho e saltos altíssimos.

personagens monster high

Unindo esses dois pontos, tem um terceiro: mesmo sendo boa e vaidosa com seu salto, roupa e maquiagem, para elogiar usam palavras como você esta horripilante. Posso estar sendo exagerada, mas uma coisa é entender a “maldade” dos termos em A Família Addams, outra é com essa pegada realista de que tudo é normal, afinal, todos no universo Monster High são assim.

Fui dar uma olhada no Wikipédia e achei a seguinte descrição para o produto Monster High:

“A franquia gira em torno de personagens inspirados em monstros lendários e de filmes de terror encarnados como jovens adolescentes em uma escola para monstros. Cada monstro gera uma característica pra uma personagem da série, variando entre vampiros, lobisomens, zumbis, entre outros.”

Não, não fui eu quem escreveu num mesmo parágrafo: monstros + terror + encarnados. Continuo achando desnecessário inserir mais características maldosas nas crianças.

Aqui em casa somos cristãos, e precisei sentar e conversar com Sophia sobre nossa – minha e do papis Gorducho – que Monster High não entraria em casa. No início a explicação era curta e grossa “não ensina coisas boas”, com o tempo as perguntas, os por ques aumentando e, principalmente, a influencia das amigas também. Foi então que há alguns dias tivemos uma discussão (entenda como conversa, daquela que uma fala, outra dá o ponto de vista, estudamos, concordamos, divergimos e chegamos num senso comum) sobre o grupo de monstrinhos.

Tudo começou quando ela contou a história de uma amiga da sala que levou uma Monster  High que “não era tão maldosa assim”, só o pai dela que tinha feito coisa errada e pelo andar da carruagem, eu senti na fala dela que ela gostou dessa tal boneca, como se no final de tudo ela falasse “ela é tão linda, me dá de presente?!”. Foi então que conversei que EU e o PAPIS não gostamos da história da boneca, afinal, sempre tem alguém na família que é do mal e fez coisas ruins, e que não gostamos de como elas falam, afinal, desconheço uma maldição para o bem.

Ë bem verdade que não me vem à cabeça um programa infantil, seja do ano, época que for, que não tenha alguém que tenda para o lado negativo, até porque especialistas afirmam que para entender a bondade é preciso um antagonista mal para que não apenas, mas principalmente a criança entenda que existem os dois lados e priorize entender e aprender sobre o bem. Mas daí você fazer um programa, uma série de produtos baseado sobre o que já é mal!? Aí é difícil defender, né não!?

Enfim, aqui chegamos na conclusão que as bonecas podem ser até, de certa forma, bonitas e atraentes, mas por traz de uma boneca, existe toda uma história, um conceito de coisas feias e ruins.

“Mas Marcella, então quer dizer que você não tem absolutamente NADA da Monster High em casa e se eu te der você vai jogar fora!?” ... olha, assunto delicado. Tenho caderno, bolsa, Gatoca tem óculos de sol, umas maquiagens e uma bolsinha, mas porque ganhamos, realmente o que comprei, joguei fora, pois não acho justo “passar adiante” aquilo que não quero para mim por considerar um peso.

E você, como vê Monster High?! Quero muito saber sua opinião, me conta!

Beijos e comenta,




VEJA MAIS POSTS SOBRE

0 comentários

Obrigada! Seu comentário é muito importante para o crescimento do blog. Para quaisquer dúvidas e sugestões, mande um email para contato@mamaedesalto.com

Beijos, Má

Importante

Importante

Seguidores

© MAMÃE DE SALTO - 2016. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.