Dengue, chikungunya e zika ... as ~novas~ doenças do verão

08:30

Olá mamães, tudo bem!? Eu espero que sim!!

vem verão
BEM VINDO verão ☀️󾁇⛱ \o/
Posted by Mamãe de Salto on Segunda, 21 de dezembro de 2015


Na madrugada de terça-feira, vinte e dois de dezembro começou a estação mais quente do ano: o verão! Ah, sinceramente, como não amar a combinação férias + sol + calor + colorido ... ah, melhor que isso só estando na praia ou tendo uma piscina pertinho né!?

O verão também combina com as famosas chuvas de verão, aquelas que caem no meio da tarde, deixando o céu cinza, trazendo ventos fortes, exalando um cheiro único e nos presenteando com a beleza do arco íris ... tudo tão mágico, perfeito e, perigoso! Sim sim sim, atrás dessa perfeição toda se esconde um mal um bichinho malvado que traz caos, doença e preocupação: você conhece o Aedes aegypti?!

como é o mosquito Aedes aegypt ... blog Mamãe de Salto


Originado do Egito (aegypti), o Aedes aegypti, recebeu esse nome apenas em 1818, antes disso era conhecido como Culex aegypti, ou seja, mosquito do Egito. O nome Aedes significa desagradável, odioso e sofreu essa mudança por a espécie fazia muito mais do que apenas um pequeno, leve ferimento de um mosquito comum, a picada desse mosquito trazia dor, mal estar, prostração.

A dengue ~infelizmente~ já é bastante conhecida no nosso país, antes uma doença apenas do verão, em função das mudanças climáticas mundiais, atualmente é possível encontrar pessoas infectadas todos os meses do ano em diversas e diferentes regiões do Brasil. Os sintomas incluem febre, dor de cabeça, dores musculares e nas articulares e erupção cutânea; vítimas da dengue dizem que não há uma parte do corpo sequer que não se sinta dor, da ponta dos pés ao topo da cabeça, deitado, sentado e/ou em pé, tudo dói.

Há alguns poucos meses três novas doenças começaram a fazer parte dos noticiários nacionais e, duas delas com o mesmo transmissor da dengue ... chikungunya e zika são as novas “doenças da estação”.

Se formos colocar numa escala de “quem é pior que quem”, chikungunya ganha (sem nenhum tipo de mérito ou louvor) pois apresente dores nas articulações das mãos e pés mais intensa do que nos quadros de dengue, não é à toa que a doença recebeu esse nome, afinal chikungunya significa aqueles que se dobram em africano. Outros sintomas são: febre repentina acima de 39 graus, dor de cabeça, dor nos músculos e manchas vermelhas na pele.

Em segundo lugar a já conhecida dengue. Também transmitida pelo Aedes aegypti, tem como sintoma: febre alta (geralmente dura de dois à sete dias), dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Tanto a chikungunya como a dengue não possuem tratamento específico, um medicamento para tratar, apenas repouso e ingestão de muito líquido para hidratação.

A menos forte é a zika, que também transmitida pelo mesmo mosquito, os pacientes apresentam diarreia, sinais de conjuntivite e um quadro alérgico, porém com alguns sintomas parecidos com os das doenças “primas”: febre, dores e manchas no corpo.

Ué Marcella, mas você falou de ”três novas doenças” e só apresentou três ... você não se confundiu ou escreveu errado!? Pior que não! A mais “leve” das doenças transmitidas pelo mosquito maldito, a zika, infelizmente tem trazido um outra doença como consequência: gestantes infectadas pelo vírus geram crianças com microcefalia, uma malformação irreversível do cérebro, que pode vir associada a danos mentais, visuais e auditivos.

Não sei se você já viu a propaganda que tem passado na televisão em que os atores falam “se o mosquito mata, ele não pode nascer” ... realmente é uma verdade e, o mosquito só nasce se nós, humanos, não cuidarmos e deixamos água parada. Sem água parada, o mosquito não tem aonde colocar seu ovos e assim não se reproduz, não se prolifera e a doença é extinta.

Por que é comum no verão!? Justamente por causa das chuvas e das altas temperaturas, o que torna um ambiente mais que perfeito para o ciclo completo de ovos à eclosão, que leva em média dez dias, ou seja, tudo muito rápido.

No site da Fundação Oswaldo Cruz, encontrei essa explicação simples de fácil compreensão:

Entenda o ciclo reprodutivo do mosquito transmissor do vírus da dengue
O acasalamento do Aedes aegypti se dá dentro ou ao redor das habitações, geralmente nos primeiros dias depois que o mosquito chega à fase adulta. É preciso somente uma cópula para a reprodução ser concretizada, pois a fêmea guarda o esperma na espermateca. Após a cópula, as fêmeas precisam realizar a hematofogia (alimentação com sangue) importante para o desenvolvimento completo dos ovos e sua maturação nos ovários Normalmente, as fêmeas do Aedes aegypti encontram-se aptas para a postura de ovos três dias após a ingestão de sangue, passando então a procurar local para desovar.
A desova acontece, preferencialmente, em criadouros com água limpa e parada. Os ovos são depositados nas paredes do criadouro, bem próximo à superfície da água, porém não diretamente sobre o líquido. Daí a importância de lavar, com escova ou palha de aço, as paredes dos recipientes que não podem ser eliminados, onde o ovo pode permanecer grudado.




Diferente dos pernilongos, mosquitos mais comum do verão, o Aedes aegypti tem como principais características:
=> tamanho: 0,5 cm;
=> cor: possui cor preta e riscos brancos nas patas, cabeça e corpo;
=> asas: possui 2 pares de asas translúcidas;
=> patas: possui 3 pares de patas.
Além disso são silenciosos, costumam picar nas primeiras horas da manhã ou fim da tarde e a sua picada, geralmente, não dói nem coça; tem voo rasteiro, por isso, picam principalmente nas pernas, tornozelos ou pés.

Por isso, vamos cuidar com potes, caixas d’água, vasos ... tudo o que fique na área externa das residências e comércio que podem armazenar água e deixa-la parada. Não apenas pela sua saúde e da sua família, mas pelo bem no mundo!


Que possamos curtir o verão e multiplicar as alegrias, as risadas, o descanso, o amor, o respeito ... não o Aedes aegypti!

facebook  ~  twitter  ~  instagram  ~  youtube  ~  app




Beijos e comenta,

VEJA MAIS POSTS SOBRE

0 comentários

Obrigada! Seu comentário é muito importante para o crescimento do blog. Para quaisquer dúvidas e sugestões, mande um email para contato@mamaedesalto.com

Beijos, Má

Importante

Importante

Seguidores

© MAMÃE DE SALTO - 2016. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.