Minha filha não merece ser estuprada

08:30


Olá mamães, tudo bem!? Eu espero que sim!!


estupro
es.tu.pro
sm (lat stupru) 1 Atentado ao pudor cometido com violência. 2 Coito sem consentimento da mulher e efetuado com emprego de força, constrangimento, intimidação ou decepção quanto à natureza do ato; violação. (Quase sempre empregado quando a vítima é menor de idade.)
Dicionário Michaelis português – editora Melhoramento


Art. 213.  Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso: (Redação dada pela Lei nº 12.015, de 2009)

Pena - reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos. (Redação dada pela Lei nº 12.015, de 2009)

§ 1o  Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave ou se a vítima é menor de 18 (dezoito) ou maior de 14 (catorze) anos: (Incluído pela Lei nº 12.015, de 2009)

Pena - reclusão, de 8 (oito) a 12 (doze) anos. (Incluído pela Lei nº 12.015, de 2009)

§ 2o  Se da conduta resulta morte: (Incluído pela Lei nº 12.015, de 2009)

Pena - reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos (Incluído pela Lei nº 12.015, de 2009)
Código Penal Brasileiro



Não sei se choro ... não sei se vomito ... não sei se vomito chorando. Imagino que ser estuprada deve ser uma das, se não a pior coisa que pode acontecer na vida de uma mulher e, infelizmente, como já dizia Murphy nada é tão ruim que não possa piorar, a maioria das mulheres que são estupradas não são bem mulheres, são meninas, algumas com oito, nove, dez, treze, quinze, dezessete anos.

Na última sexta-feira uma adolescente de dezesseis anos saiu à noite, foi num baile numa comunidade carioca, não voltou para casa, ficou cinco dias desaparecida, a família soube que ela estava viva pois recebeu, como centenas, milhares de internautas um vídeo que infelizmente viralizou: uma adolescente completamente dopada sendo estuprada por trinta e três homens. Você não leu e nem eu escrevi errado ... não foram um, dois, cinco, dez, quinze, vinte, foram trinta e três homens  que não apenas doparam uma mulher, como a estupraram e conseguiram piorar a situação: filmaram tudo e jogaram na internet como se fosse a coisa mais normal, legal e divertida do mundo.

Sou mulher, tenho avós, mãe, irmã e uma filha. Sou heterossexual, casada e preciso contar uma coisa para você: eu gosto de sexo. Adoro, amo transar com meu marido e, sempre houve vontade e respeito de ambos os lados e, quando eu não estou afim, não rola. Algumas vezes ele já tentou me fazer mudar de ideia e isso sempre me deixa numa situação ruim, afinal, eu disse que não queria, porque ele está insistindo em algo que não quero!? Transar, mesmo que com meu marido, para satisfazê-lo somente não é saudável, não é legal.

Agora eu paro e penso: se com o meu marido, quando ele quer e eu não estou tão afim assim, não rola ... imagine quando é com um desconhecido que te violenta, te machuca, te força a entregar o seu corpo, seu prazer, sua intimidade. Putz, deve ser a pior coisa do mundo.

Para muitas coisas na vida eu me encaixo na categoria sem vergonha, agora quando o assunto é meu corpo eu sou extremamente envergonhada e isso não tem muito a ver com estar ou não acima do peso, nunca gostei de mostrar meu corpo, nunca gostei de saias e shorts curtos ou blusas decotadas. O estupro dessa e tantas outras mulheres me fazem parar mais uma vez e pensar que não deve ser fácil ter sua roupa arrancada, ter seu intimo violado, ter sua sensibilidade destruída.

Estudos mostram que uma mulher é estuprada a cada onze minutos no Brasil. Mais uma vez eu não escrevi nem você leu errado, são onze minutos, quem sabe do início da sua leitura até o final duas mulheres foram estupradas nesse país. Alguma coisa deve estar muito errada no mundo, não é meixxmo?!

Confesso à você que gosto muito de estudar a mente humana, conhecer as doenças mentais do ser humano ... e na violência sexual, no estupro eu não consigo entender qual a lógica da homem em acreditar que isso é bom, que isso possa trazer prazer e, atualmente, com a internet, não basta cometer o crime, é preciso registrar, compartilhar. O pior é que isso consegue piorar ~mais uma vez Murphy está certo~ pois um envia, posta e outros compartilham como se fosse algo que deva ser compartilhado.

Pare por um minuto e imagine você recebendo em seu smartphone um vídeo da sua irmã, amiga da faculdade, colega de trabalho, da sua filha sendo estuprada por trinta e três homens e esses fazendo comentários se vangloriando dessa aberração, dessa monstruosidade?! Eu só consigo chorar de imaginar a dor dessa e de tantas outras mulheres que tiveram uma marco permanente da sua vida.

Se eu não me engano, estão querendo aprovar uma lei que mulheres vítimas de estupro, se engravidarem, não poderão abortar. Sério mesmo que tem gente que quer piorar o “impiorável”!? Eu conheço um caso, fez terapia em grupo com minha mãe, a mulher tinha quase quarenta anos e sofria pois não tinha pai. Não, ele não morreu; não, ele não abandonou a família ... ele estuprou a mãe dela.

Se você é homem e estiver lendo esse texto, por favor, mesmo que anonimamente deixe nos comentários um, apenas um bom, mais que seja bom motivo para eu tentar querer entender o que é legal em estuprar uma mulher?! Okay, você não estupra, mas você assistiu ou assistiria esse vídeo e provavelmente em algum momento ficaria excitado!? O pior é que eu tenho certeza que sim, afinal, você vê essa cena com frequência nos filmes pornográficos. 

Mães de meninos, eu imploro, eu suplico: ensinem seus filhos que violência, estupro, assédio é mais do que crime, que é mais que errado, é perverso, é sujo, é doente, é imoral. Mulher nenhuma gosta de ser assediada. Mulher nenhuma sai para rua para ser chamada de gostosa. Mulher nenhuma sai para dançar com amigos para que um homem passe a mão na bunda dela, pegue ela pelos cabelos e seja forçada a beijo-lo. Mulher nenhuma quer e merece isso! 

Eu choro por saber que essa doença não tem cura. Eu sofro por saber que eu, minha mãe, minha irmã, minha filha podem um dia sair na rua e sofrerem essa violência que não é apenas sexual, é física, é emocional, é psicológica, é espiritual. Como recuperar a vida depois desse marca, dessa fatalidade.

Essa e todas as mulheres que foram e infelizmente serão estupradas em momento algum pediram para ser. Não tem roupa, movimento, estilo, comportamento que justifique ... não foi consentido então é estupro.

Pior é saber que eu não posso fazer absolutamente nada, eu, você, nós estamos de mão atadas. Saber que um estuprador se for encontrado e preso pode pegar no máximo doze anos de reclusão! Doze anos?! É sério isso!? As marcas dessa violência serão eternas para a mulher e o desgraçado fica no máximo doze anos?! Ah meu Deus, que Sua justiça seja feita mesmo, porque a dos homens não dá para contar não!

Eu fico sem chão, eu estou sem chão. Meus olhos cheios de lágrimas quando penso em todas as mulheres que já sofreram e que infelizmente irão sofrer violência, abuso ...

Pela minha filha eu vou lutar. Lutar pela mudança das leis. Lutar para que as mulheres compreendam que a culpa nunca será dela. Lutar para que homens parem de ver o estupro como uma glória. Lutar. Lutar. Lutar.

À adolescente e todas as outras mulheres que já foram um dia violentadas ... meu abraço, minha lágrima, minha força.


facebook  ~  instagram  ~  twitter  ~  youtube  ~  app  ~  pinterest



beijos e comenta,



VEJA MAIS POSTS SOBRE

2 comentários

  1. Brilhante seu texto... Retrata não apenas o desabafo de uma mãe, mas a sensibilidade de alguém que sonha e quer um mundo melhor, menos injusto. O estupro, por natureza, é um ato cruel, que fere qualquer principio da razão e do bom senso. Mas nesse caso, extrapolou todos os limites.

    ResponderExcluir

Obrigada! Seu comentário é muito importante para o crescimento do blog. Para quaisquer dúvidas e sugestões, mande um email para contato@mamaedesalto.com

Beijos, Má

Importante

Importante

Seguidores

© MAMÃE DE SALTO - 2016. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.