Pula o balão da fogueira que é mentira – a história da festa junina

08:30

especial festa junina background blog mamãe de salto


Quem me conhece sabe que meu paladar é limitadíssimo, sou aquela que poderia ir para o programa Que Marravilha! – chata para comer do chef Claude Tragot que sem dúvida nenhuma iria fazer ele perder, e perder feio.

ABRE ASPAS
Muitas pessoas queriam me inscrever no programa, algumas chegaram a começar a inscrição ... meu pai era o único que não concordava pois sabia que eu não iria experimentar, afinal, nos programas que a pessoa não comia, Claude ficava chateado e meu pai não queria fazer essa “desfeita” com o renomado chef.
FECHA ASPAS

Então se você for me convidar para jantar na sua casa, nem ouse fazer um cardápio refinado para bancar a fina, saiba que pizza é de calabresa; pão com linguiça é vida e churrasco é de carne bovina mal passada; massa com molho quatro queijos ou bolonhesa amo; cachorro quente é pão, vina, maionese e batata palha ou vina com molho sem nenhum complemento e sanduiche é pão, carne, queijo e pouca maionese. Ah, para não dizer que sou do povo, um PF é composto por arroz, feijão, bife, batata frita, ovo frito de gema ao ponto e farofa simples, nada de milho, ervilha ou banana. Strogonoff?! Adoro, mas tiro milho e champignon.

Mais o que eu estava falando mesmo?! Ah lembrei ... – nota mental: Marcella, foco – acontece que chegamos em junho e se tem uma coisa que me deixa muito animada é a tal da festa junina que é conhecida e reconhecida pelas suas comidas incríveis e que NÃO COMO!! Então fica a dúvida: por que eu gosto tanto?! Porque eu amo cachorro quente e pipoca e na mesa isso me basta, mas eu simplesmente adoro a energia da festa e poderia ir em várias pelo mês inteiro, poderia ser um evento anual. Meu amor pela festa é tanto que todo ano desejo fazer uma festa de aniversário com o tema, em que todos os convidados possam ir a caráter. Quem sabe um dia né!?

Chapolim Sincero mês de junho festa junina
reprodução internet

Acontece que fiquei pensando por que será que essa festa é típica de junho embora de uns tempos para cá rola até umas festas “julinas” já que apenas quatro finais de semana são poucos para tanta animação e precisa de mais um mês de fogueira, barraca do beijo, quadrinha e pescaria.

Descobri que assim como outras festividades, a festa junina teve origem em festas pagãs, no período pré-gregoriano para celebrar o período de boas colheitas do solstício de verão, por isso tanta fartura de comida e bebida. Nessa época também homenageavam a deusa Juno, esposa de Júpter, e por isso originalmente as festas eram chamadas de “junônicas”.

Com o passar dos anos o Catolicismo foi ganhando força na Europa e modificando o contexto das festas pagãs. Junho é um mês que celebra e homenageia santos católicos: Santo Antônio (13); São João (24); São Pedro e São Paulo (29) e São Marçal (30). Com o passar dos anos começaram a chamar a festa de “joanina” por causa de João Batista, primo de Jesus, dia este mais “oficial de todos” para as festas juninas atualmente.

No Brasil a festa chegou junto com a colonização Portuguesa e foi fácil dos negros e índios aceitarem, afinal, já era comum em seus povos esse tipo de celebração. Embora seja algo a se pensar o fato de que por vivermos em outro hemisfério nossa colheita e clima ser bem diferente da Europa, isso não faz diferença na nossa animação na hora de tomar para gente uma festa e tornar ela patrimônio nacional, basta ver o Natal com Papai Noel derretendo dentro da roupa em pleno verão.

Por ser uma festa que agradecia a colheita, era bastante comum em ambientes rurais, agora porque o brasileiro achou que isso deveria ser caipira, roupas com retalhos e pinturas nos dentes simulando falta de elementos, daí é coisa que só brasileiro consegue fazer e entender.

Embora proibido por lei, soltar balão sempre foi um símbolo da festa, na sua origem, significava que a festa iria começar. Hoje os balões são dobraduras de papel para decorar e música característica do set list de uma boa festa junina. As fogueiras que tinham como função espantar os maus espíritos nas festas pagãs e indígenas, hoje além de manter a tradição aquece o corpo daqueles que não estão dançando ou mandando ver no quentão.

festa junina - reprodução internet
reprodução internet

A quadrilha é o momento mais esperado da festa. Seu nome é inspirado na quadrille, dança de salão francesa formada por quatro pares. No Brasil, pelo menos, a encenação clássica começa por uma cena de casamento. A moça grávida, o pai obriga o casamento. No altar padre e delegado, caso o noivo desista, vai para a prisão. Ele “aceita”, graças as preces da moça à Santo Antônio, o santo casamenteiro. Para celebrar a união, os noivos chamam os convidados e começa a quadrilha.

festa junina - reprodução internet
reprodução internet


Só tenho algo para dizer: ê trem bão sô!

Você gosta de festa junina!? Gosta dessa animação toda?! Eu se pudesse ia em todas as festas possíveis, mas me falta convites hahaha! Alguém sabe de alguma em Curitiba que possa ir?! Escola, paróquia, quermesse, de bairro ... por uma pipoca eu vou fácil!

Ah, se puder indicar lugares que vendam/aluguem roupas típicas, agradeço ... esse ano quero Gatoca incrivelmente caipira no look para a festa.

Pra você já ir entrando no clima, arrasta os móveis, sobe o som e mexe o quadril sem medo de ser feliz, afinal, isso é clássico caipira raiz! 





Beijos, Má




VEJA MAIS POSTS SOBRE

0 comentários

Obrigada! Seu comentário é muito importante para o crescimento do blog. Para quaisquer dúvidas e sugestões, mande um email para contato@mamaedesalto.com

Beijos, Má

Importante

Importante

Seguidores

© MAMÃE DE SALTO - 2016. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.