Conquistando o cabelo dos sonhos

09:00

“Tenho sonhos adolescentes
Mas as costas doem
Sou jovem pra ser velha
E velha pra ser jovem
Tenho discos de 87
E de 2009
Sou jovem pra ser velha
E velha pra ser jovem”
Aquela dos 30 – Sandy

Passei! Sim sim sim, enfim passei com sucesso pelos tão temidos trinta anos. Vou te contar uma coisa: sofri mais no ano passado com a chegada dos vinte e nove do que com o fatídico inta, parece que estar quase foi pior que enfim chegar.

Esse ano ~2017~ foi completamente diferente dos demais, assumi um compromisso que mexeu demais comigo: voltar para a faculdade. Não sei se o curso escolhido ~jornalismo~ ou pelo turno ~manhã~, tinha muito medo de ser a “tiazona” da sala, aquela que reclama da conversa, que é excluída e tratada como ultrapassada pelos mais jovens, porém para minha feliz surpresa no primeiro dia de aula descobri que havia alguém mais velho do que eu: um senhor de sessenta e quatro anos também decidiu ser jornalista “velho”. Com o passar do tempo descobri que meus colegas ~hoje muitos já são amigos~ não desconfiavam da minha verdadeira idade, pois é, sem pagar absolutamente nada para eles ouvi que tinha cara e jeito de 22, 23, no máximo 24 anos! É ou não é para glorificar em pé e dar um “Aleluia Senhor” bem alto!? Como somos de humanas via as caras de espanto quando falava que já tinha começado o curso há dez anos, fiz dois, tinha uma filha de oito e que decidi recomeçar agora a realizar um grande sonho.

Quem me conhece, principalmente pessoalmente sabe que não sou das pessoas mais maduras do mundo, até engravidar usava uma bolsa e carteira da Hello Kitty para você ter uma ideia. Mamãe de Salto na verdade é apenas um nome que faz você, leitora, entender que maternidade pode sim combinar com vaidade, porque de calçado com salto alto mesmo devo ter uns três, quatro no máximo que só uso em ocasiões muito especiais, tipo casamento e olha lá, senão você irá me ver na versão tradicional ~tênis~ e na versão verão ~havaianas.

Meu fraco é gostar de coisas que para meus pais e algumas outras pessoas é coisa “alternativo”, como piercing, tatuagem e cabelo colorido. Já contei em alguns posts que minha educação foi no bom e velho estilo tradicional e na minha família sou quase uma “ovelha negra”, já que engravidei solteira e com dezoito anos fiz uma tatuagem escondida dos meus pais.

Quando fiz treze anos pude ir na manicure fazer a unha pela primeira vez, ou seja, podendo tirar cutícula. Acontece que havia uma condição: eu só podia usar esmalte claro, renda era quase sempre o escolhido e, se quisesse algo diferente era francesinha com a linha branca bem fininha. Depois de um mês fazendo com a mesma profissional da minha mãe num salão em frente de casa comecei a poder ir sozinha, numa dessas vezes pedi um azul metálico lindo, cheguei em casa toda faceira ... minha mãe me fez atravessar a rua com ela, e pediu para a manicure tirar o esmalte e passar renda. Quando eu tinha uns onze, doze anos, era moda aquelas três mechas bem no meio da cabeça, duas para um lado, uma para o outro, algumas aproveitavam o cabelo descolorido e colocavam papel crepom para deixar coloridas, o meu era virgem, puro, afinal, que absurdo fazer isso com tão pouca idade, que mães mais irresponsáveis. No meu aniversário de quinze anos “ganhei” de presente da minha mãe fazer luzes no cabelo: podia ser nele inteiro, mas poucas e beeeem fininhas. Três meses depois, quando foi hora de retocar a raiz a cabelereira quase me deixou loira e de quebra, minha mãe surtando, se pudesse desfazer algumas acho que minha mãe teria pedido.

Tive uma adolescência sem muita rebeldia, nada que condizia com a idade era permitido. Engravidei com dezenove, descobri com vinte e com vinte e um sai de casa para formar a minha própria família, acontece que meus pais passaram a me ver como filha e Sophia como, minha irmã. Apesar de não morar mais em casa, eles não me “sustentarem” eu ainda não podia fazer as coisas que eu realmente queria. Quando fiz a tatuagem com o nome da Gatoca para seu primeiro aniversário levei bronca. E bom, sobre os piercings que tirei quando fiquei doente e os furos se fecharam rapidamente ouvi que não poderia mais colocar nenhum pois meus pais achavam feios.

Okay, eu entendo, respeito a opinião deles e eles, porém há algum tempo comecei a pensar que de certa forma isso não estava correto. Eu tenho uma vida, tenho gostos e acredito que desde que não seja ilegal nem imoral, não é porque alguém ~mesmo que seja meus pais~ não gostem mas eu gosto eu posso me privar, ou se por algum acaso eles morressem hoje, amanhã eu iria fazer tudo o que sempre gostei e teria esperado eles não estarem mais comigo para me ver feliz e realizada?! Não, isso não está correto. Pensei hoje sendo mãe e sabendo que minha filha quer algo e que vai esperar eu não estar mais com ela para era realizar. Certa vez numa conversa sobre piercings e tatuagens minha mãe me questionou sobre Sophia crescer vendo eu o pai dela fazendo isso e que ela pensava o que ela iria fazer quando fosse adulta e eu respondi: o que ela quiser, afinal, ela será orientada mas se quiser fazer uma tatuagem, ela fará.

Nunca escondi minha vontade de ter o cabelo colorido, e não tinha nada a ver com mechas loiras ou platinadas, era de rosa. Já pintei em casa um pedaço da parte de trás do cabelo e me amei. No ano passado papis pediu para eu deixar o cabelo da cor natural, de contra vontade deixei, com o tempo comecei a curtir o fato de ter um cabelo bonito e hidratado na raiz, então fui deixando crescer e contando as pontas para tirar toda a tinta loira/amarela. Quase um ano e não consegui remover nem 50%.

Os trinta estavam chegando e eu comecei a sentir que passei 10950 dias não tendo poder escolha sobre minha própria vida, deixei que os outros escolhessem por mim: o que fazer, o que falar, o que comer, como me vestir, como me comportar ... sério, isso me enlouqueceu de uma tal maneira que achei que fosse surtar. Voltar para a faculdade foi um pequeno passo perto de tudo que eu havia retrocedido a cada vez que deixei alguém escolher por mim coisas que eu deveria ter escolhido sozinha e agora era a hora de começar a só caminhar para frente. Foi aí que apareceu a Tayna novamente na minha vida me propondo algo: vamos pintar esse cabelo?! Mal ela sabia que de longe esse era com certeza um dos meus maiores sonhos da vida!

capa colorindo cabelo blog Mamãe de Salto

A Tayna, hair stylist do Lady & Lord Ecoville em parceria com a Schwarzkopf fizeram uma transformação capilar sem tamanho. Foram dois dias de muita ansiedade, nervosismo e tinta.

O primeiro passo foi descolorir o cabelo INTEIRO! De natural apenas dois dedos de raiz. Juro que achei que só fosse sobrar os dois dedos, mas como a Tay é excelente profissional soube usar com sabedoria a quantidade e a com qualidade de água oxigenada e o cabelo ficou inteiro. Depois foi a hora de criar a cor dos sonhos ... mais quarenta minutos de mão gelada e expectativa para ver como eu iria ficar.

Bom, quer saber como foi todo esse processo!? Então dá o play e confere toda essa aventura:


E o resultado foi esse! Se eu gostei!? Como diz a Gatoca: eu não gostei, eu AMEI!!! Me senti a mulher mais poderosa e maravilhosa do mundo. Depois fui mostrar para meus pais e, não, não gostaram, mas entenderam e alguns dias mais tarde ouvi da minha mãe “é, ficou bonito”. Ela ainda diz que eu fui a primeira pessoa que ela viu pessoalmente com cabelo rosa.

processo transformação cabelo loiro em cabelo rosa com Schwarzkopf e Tayna Viana Lady & Lord Ecoville Curitiba

Agora essa sou eu, linda, leve e rosa! Falta só meus adornos faciais ~sim mãe, se prepara e se acostuma, quem sabe um dia eu tiro sem ser porque fiquei doente tá!?~ e algumas imagens para deixar meu corpo mais lindo e colorido, assim como alma de trinta anos!

processo transformação cabelo loiro em cabelo rosa com Schwarzkopf e Tayna Viana Lady & Lord Ecoville Curitiba

Mais uma vez quero agradecer a Tay e a Schwarzkopf por realizarem meu sonho, vocês não tem noção de como me fizeram feliz!

processo transformação cabelo loiro em cabelo rosa com Schwarzkopf e Tayna Viana Lady & Lord Ecoville Curitiba

Quem quiser esse cabelo incrível, vou deixar o contato da Tay, basta falar que viu no blog tá?! Ela também vai te deixar incrível!

serviço
Tay Viana
Lady & Lord Ecoville
Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 654
41 99511-7572

Beijos de cabelo rosa!

-->

VEJA MAIS POSTS SOBRE

0 comentários

Obrigada! Seu comentário é muito importante para o crescimento do blog. Para quaisquer dúvidas e sugestões, mande um email para contato@mamaedesalto.com

Beijos, Má

Importante

Importante

Seguidores

© MAMÃE DE SALTO - 2016. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.